Algum Beijo

– Jalaluddin Rumi, translated by Oliveira Simões

Há algum beijo que ansiamos a vida inteira,
o toque do espírito em nossos corpos.

A água do mar implora à pérola que quebre sua concha.

E o lírio, quão apaixonadamente precisa da sua flor silvestre!

À noite, abro a janela e peço à lua que venha e aperte a sua face contra a minha.

Dê em mim o sopro da vida.

Fecha a linguagem-porta e abre a janela do amor.

A lua não entrará pela porta, e sim pela janela.