Nostalgia

Hanine El Alam, translated by Oliveira Simões

Onde o pó transcende em ser, onde a Vida liga identidades divergentes, onde o paradoxo prefigura a reconciliação… somente aí a Música pode ser encontrada…

Do solo oriental ao ocidental, da ária latina à reverberação oriental, de um eco nostágico à nobreza clássica do Violino…

A Vida não pode ser contida, um único segmento não a pode sustentar… O Violino inclui muitas cordas, onde a Vida tem seus paralelos, com cada corda forjando uma identidade…

Nostagia, onde o Passado abraça o Presente, onde o Mistério abraça a Claridade.

Nostalgia
Hanine El Alam

Where dust transcends into being, where Life alloys divergent identities, where paradox foreshadows reconciliation…only there can Music be found…

From Eastern to Western soil, from the Latin aria to the Oriental reverberation, a nostalgic echo to the classical nobleness of the Violin…

Life cannot be contained, a single segment cannot possibly sustain it…the Violin encompasses many strings where Life plays its parallels, with each string bearing an identity…

Nostalgia, where Past espouses Present, where Mystery espouses Clarity.